Tudo sobre endometriose, este monstro silencioso

A endometriose parece aquele monstro do filme “A Coisa”, sabe? Às vezes ela traz muita cólica e até dor para fazer xixi durante a menstruação ou mesmo desconforto durante o sexo. Outras vezes, você não sente nada, mas ela pode ser justamente o que está atrapalhando a vinda da sua tão sonhada gravidez. Poucos médicos sabem de fato esclarecer o assunto, eu mesma saí de todos os meus ginecos cheia de dúvidas. Aí, resolvi conversar com uma especialista, a dra. Rosa Maria Neme, doutora em ginecologia pela Faculdade de Medicina da USP e diretora e proprietária do Centro de Endometriose São Paulo*.

Nesta entrevista exclusiva ela tira todas as dúvidas mais comuns. Agora, se você tiver alguma que ainda não foi respondida aqui, escreva para o e-mail contato@cademeunenem.com.br que vamos investigar!

Cadê Meu Neném?: O que exatamente é a endometriose?

Dra. Rosa Maria Neme: Existe um tecido dentro do útero, que se chama endométrio. E na endometriose, ele pode aparecer em outras localizações do organismo, como os ovários, o intestino, a bexiga, as trompas ou até no pulmão e no fígado.

Cadê Meu Neném?: Como e por que ela surge? É genético?

Dra. Rosa Maria Neme: Ninguém sabe exatamente o que causa, mas existem indícios de um caráter genético, porque há famílias de mulheres que têm endometriose. Quando a mãe tem, a chance de a filha ter aumenta muito. Mas tem muita relação com o nível de estresse e ansiedade das mulheres, o que por sua vez tem a ver com imunidade. Em quem tem distúrbio de imunidade, pode ser que ela apareça e até cresça.

Cadê Meu Neném?: Quais são os sintomas?

Dra. Rosa Maria Neme: O principal é a cólica menstrual, que pode ser em graus variados, além de dor na relação sexual. E infertilidade, que pode acometer entre 30 e 40% das mulheres. Há também outros sintomas, como intestinais e urinários. Tem mulher que, na época da menstruação, tem intestino mais preso ou solto que o regular, ou presença de gases. Quem tem endometriose na bexiga pode ter dor pra fazer xixi na época da menstruação…

Cadê Meu Neném?: Mas existem endometrioses sem sintomas, certo?

Dra. Rosa Maria Neme: Sim, mas são só 15% das mulheres que têm endometriose assintomática. O que não significa que não são casos graves.

Cadê Meu Neném?: Quais exames podem mostrar a endometriose?

Dra. Rosa Maria Neme: O primeiro exame de sangue que costumávamos pedir para diagnosticar a endometriose, o CA125, detecta em apenas 10% dos casos, independentemente da quantidade de doença que elas têm, então tem sido deixado de lado. Um bom exame começa nos sintomas clínicos e no toque vaginal, que é feito pelo ginecologista – muitas vezes dá para sentir os focos de endometriose ali. Mas o exame principal é um ultrassom que é feito com lavagem do intestino e diagnostica por imagem, o que faz definirmos o tratamento. A ressonância magnética é uma alternativa a este ultrassom, mas mais generalista e menos sensível a detectar a doença. Acaba sendo uma opção porque não exige muito de quem está realizando o exame, ao contrário do ultrassom.

Cadê Meu Neném?: Quando nenhum exame indica, vale fazer a laparoscopia mesmo assim?

Dra. Rosa Maria Neme: Quando a pessoa tem sintomas e exame de toque alterado, mas no ultrassom a gente não enxerga nada, ela tem o que chamamos de endometriose mínima, que tratamos clinicamente. Esta mulher vai usar uma medicação hormonal por seis meses ou até um ano. Se neste tempo ela não tiver nenhuma melhora e, no próximo ultrassom, percebermos que a lesão cresceu, por exemplo, aí indicamos a cirurgia.

Cadê Meu Neném?: Por que a endometriose atrapalha quem deseja engravidar?

Dra. Rosa Maria Neme: Ninguém sabe. O que se sabe é que quanto mais avançada a endometriose, maiores as chances de esta paciente ter aderências dos órgãos dentro da barriga e isso causar a infertilidade. O que não conseguimos explicar são os casos de endometriose mínima e leve, em que as mulheres não conseguem engravidar, mesmo estando tudo bem com os ovários e as trompas. Talvez a endometriose produza algum fator inflamatório que acaba prejudicando a gravidez. Ou até algo no sangue.

Cadê Meu Neném?: Ela pode atrapalhar até uma FIV? Por quê?

Dra. Rosa Maria Neme: Hoje a gente sabe que os casos mais avançados de endometriose podem, sim, atrapalhar a fertilização. Nestes casos indicamos a cirurgia antes da fertilização.

Cadê Meu Neném?: Existe cura para a endometriose?

Dra. Rosa Maria Neme: Infelizmente não existe cura. O importante é depois da cirurgia manter o tratamento medicamentoso para evitar que ela volte. A chance de retorno da endometriose ovariana, por exemplo, é grande.

 

*Para visitar o site do Centro de Endometriose, clique aqui.

 

 

Fotos: Flickr/ wetribe e Divulgação/dra. Rosa Maria Neme

 

Você já curtiu nossa página no Facebook? Clique aqui e curta para receber atualizações diárias!


16 thoughts on “Tudo sobre endometriose, este monstro silencioso

  1. Adriana Martins Responder

    Boa tarde! tenho endometriose na parede do abdômen, tomo anticoncepcional sem pausa para não mestrual, e não ter dor, sofro muito com as dores já fiz cirurgia mas voltou será que vou ter que tomar anticoncepcional pro resto da minha vida? ou fazer cirurgia novamente! se eu tirar o ovários pode acabar com minha dor. o que fazer? obrigada.

    1. Pri Portugal Responder

      Olá, Adriana, tudo bem? Obrigada por sua visita. Vamos reunir algumas dúvidas das leitoras e enviar para a dra. Rosa. Devemos ter sua resposta dentro de um mês. 🙂 Fique bem. Beijinho

  2. Camila Thomaz Responder

    Muito bom…
    Sempre traz conforto saber sobre algo que temos e poucos realizam bons tratamentos.
    Dra. Rosa Maria esclareceu muito minhas dúvidas.

  3. […] mais sobre endometriose aqui. E sobre fertilização in vitro, […]... cademeunenem.com.br/gravidez-ectopica-e-endometriose
  4. […] de tanto esperar, fui atrás de um especialista em reprodução humana, que finalmente descobriu a e... cademeunenem.com.br/dia-nacional-da-adocao
  5. […] eu tinha apenas 11 anos de idade, eu tinha cólicas fortíssimas. Ficava de cama mesmo. Era uma ... cademeunenem.com.br/tinha-endometriose-severa
  6. […] as infecções. Desde a gonorreia até a tuberculose, além de processos inflamatórios, como a endo... cademeunenem.com.br/trompas-de-falopio-na-reproducao-1
  7. […] Assim que acabei a faculdade, enviei meu currículo para uma empresa de transportes e consegui a vag... cademeunenem.com.br/18-anos-tentando-engravidar
  8. […] também no Pronto-Socorro, fiz uma ecografia transvaginal. A médica de plantão falou que eu tinha ... cademeunenem.com.br/dias-dormindo-no-chao-endometriose
  9. […] eu me casei e parei o anticoncepcional porque queríamos ter o nosso bebê. Mas, como tenho SOP e en... cademeunenem.com.br/sop-e-endometriose-sabia-nao-seria-facil
  10. […] para doenças crônicas” (ed. Metha, 2007, 192 pág.). Afinal, quem já teve diagnóstico de endom... cademeunenem.com.br/existem-alimentos-que-ajudam-a-engravidar
  11. […] Nela, foi verificado que eu tinha uma película em torno dos ovários, mas nada de endometriose. No ... cademeunenem.com.br/ressignificar-5-perdas-espontaneas
  12. […] dolorido que a histerossalpingografia à moda antiga, esse novo exame pode identificar até mesmo en... cademeunenem.com.br/histerossalpingografia-a-nova-geracao
  13. […] comecei a tomar pílula e tudo ficou ainda mais desequilibrado. Eu tenho ovários policísticos, end... cademeunenem.com.br/eu-fiz-3-fivs-que-deram-errado
  14. […] Esses dias eu falei aqui sobre a relação entre Ovários Policísticos e pensamento negativo, de ac... cademeunenem.com.br/as-raizes-emocionais-da-endometriose

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *