“Demorei para descobrir que tenho uma má-formação das trompas. Sempre quis ter dois filhos, mas comecei a acreditar que, se conseguisse um, já seria o suficiente”.

Sou de uma família do interior de São Paulo, então fui criada para casar e ter filhos. Ainda que minha família não seja tão conservadora a ponto de achar que mulher tem que ficar cuidando da casa, fui condicionada a isso. more ““Demorei para descobrir que tenho uma má-formação das trompas. Sempre quis ter dois filhos, mas comecei a acreditar que, se conseguisse um, já seria o suficiente”.”

“Foram 18 anos tentando engravidar e diagnósticos de varicocele, endometriose, pólipo no útero, trompa obstruída… não sei como consegui seguir adiante”

“Quando me casei, em dezembro de 1984, eu achava que era cedo para ter um bebê, mas como meu marido tinha essa vontade, resolvi parar com o anticoncepcional. O tempo foi passando… e nada. Mal sabia que levaria 18 anos tentando engravidar. more ““Foram 18 anos tentando engravidar e diagnósticos de varicocele, endometriose, pólipo no útero, trompa obstruída… não sei como consegui seguir adiante””

“Foram quatro médicos, um ano de coito programado, cinco inseminações, duas FIVs e nenhum diagnóstico”

“Faz quase 11 anos que me casei e eu e meu marido já estávamos juntos há três. Nunca usamos qualquer método contraceptivo, então já no primeiro ano de casada, busquei um médico tradicional em Curitiba e ele foi bastante seco. Mesmo assim, resolvemos tentar o coito programado. more ““Foram quatro médicos, um ano de coito programado, cinco inseminações, duas FIVs e nenhum diagnóstico””

“Foram oito tratamentos de fertilização e duas perdas espontâneas, com aderência do endométrio ao final. Até que, aos 41 anos, engravidei naturalmente”

“Conheci meu esposo sete anos atrás. Como sou médica, ou seja, estou em uma área que demandou muitos anos de estudo e pesquisa, acabei adiando um pouco meus projetos pessoais. Ter um esposo e filhos, aquela família de comercial de margarina, sempre foi meu sonho, mas a carreira veio antes. more ““Foram oito tratamentos de fertilização e duas perdas espontâneas, com aderência do endométrio ao final. Até que, aos 41 anos, engravidei naturalmente””

“Tirei um ovário por causa de um tumor e a médica me disse que não poderia mais engravidar. Mas o Davi veio naturalmente e entendi que Deus pode tudo, mas na hora dele”  

“Eu me casei com 18 anos. Apenas um ano depois, engravidei da minha primeira filha, a Luísa. Lembro que, na época, meu médico me orientou a tomar um remedinho que estimula o ovário, funcionando como um indutor de ovulação. more ““Tirei um ovário por causa de um tumor e a médica me disse que não poderia mais engravidar. Mas o Davi veio naturalmente e entendi que Deus pode tudo, mas na hora dele”  “

“Depois de sete fertilizações, duas perdas espontâneas e uma depressão, adotei. Mas ainda carrego a dor de não engravidar”

Minha história, infelizmente, não é daquelas ‘e foram felizes pra sempre’. Eu sempre sonhei em engravidar, mesmo antes de me casar. Sei lá… a gravidez, a barriga crescendo, um serzinho me chamando de mãe… esse sempre foi o meu conceito de felicidade. more ““Depois de sete fertilizações, duas perdas espontâneas e uma depressão, adotei. Mas ainda carrego a dor de não engravidar””

“Foram três anos de tentativas naturais e um diagnóstico de infertilidade sem causa aparente. Hoje tenho dois filhos e quero adotar mais um”

“Casei em 2009 e, como queríamos engravidar logo, não utilizávamos nenhum método contraceptivo. Fomos deixando acontecer naturalmente durante quase três anos. Em 2012, procuramos um especialista, mas não tivemos um diagnóstico. Nossa situação foi classificada como infertilidade sem causa aparente. more ““Foram três anos de tentativas naturais e um diagnóstico de infertilidade sem causa aparente. Hoje tenho dois filhos e quero adotar mais um””

“Perdi meu primeiro bebê na véspera do Natal e caí em depressão por um ano. Encontrei formas de me reerguer, redescobri minha espiritualidade e hoje estou grávida do meu terceiro filho”

Só quem já passou por esse sentimento de impotência, beirando o desespero e a depressão, sabe como é. A minha história começou em outubro de 2013, quando eu e meu marido resolvemos engravidar. Aconteceu no mês seguinte. Foi uma alegria! more ““Perdi meu primeiro bebê na véspera do Natal e caí em depressão por um ano. Encontrei formas de me reerguer, redescobri minha espiritualidade e hoje estou grávida do meu terceiro filho””