Abril de 2016

Querido diário, as esperanças de engravidar naturalmente se exauriram. À custa de muita meditação, muito choro, muita terapia e muitas conversas com meu marido e nossos pais e irmãos, decidimos adotar. more “Abril de 2016”

Janeiro de 2016

Querido diário, finalmente, agendamos o procedimento. Foi uma internação chatinha em uma maternidade bem conceituada aqui de São Paulo, porque ela estava lotada e não conseguiam nem quarto para mim, nem horário no centro cirúrgico. more “Janeiro de 2016”

Dezembro de 2015

Querido diário, decidimos esperar as emoções familiares do final do ano passarem para investir (literalmente, mais uma vez, mais de R$2.000 porque, claro, o convênio não cobria) no procedimento. more “Dezembro de 2015”

Outubro de 2015 

Querido diário, contamos tudo para o médico e ele pensou: “vamos fazer uma biópsia do seu endométrio. É mais invasivo, mas ele pode ter algo que a ressonância não identificou, visto que a princípio, você ‘engravidou’. Só que o embrião não se fixou no útero”. more “Outubro de 2015 “

Começo de 2015

Minha prima querida comenta sobre um médico em que foi sua vizinha, que há anos tentava engravidar: ele pediu exames que nenhum outro especialista havia pedido, tratou-a e ela engravidou! Não tinha nada a perder e fui atrás dele. more “Começo de 2015”

Dezembro de 2014

Meu fim de ano não foi legal. Eu estava triste e qualquer comentário me chateava: do “desencana” ao “quando você for mãe, você vai ver”, passando pelo “é um amor que só mãe sente” e pelo “Deus sabe o que faz”. more “Dezembro de 2014”

Setembro de 2014

Meus pais resolvem nos incentivar em uma nova tentativa de fertilização – e dão o apoio emocional e financeiro necessário para isso. Mas, desta vez, o resultado foi ainda mais dolorido: apesar de um estímulo hormonal ainda maior, não tivemos sequer um embrião, pois meus óvulos não amadureceram o suficiente. more “Setembro de 2014”