20 de fevereiro de 2018

Querido diário, tem um vulcão ativo dentro do meu peito. Com ele em erupção, até respirar se torna difícil. Ele parece sufocar as batidas do meu coração e o pobre coitado precisa fazer o dobro de força para bater na velocidade habitual. Não, não existe nada de errado com a minha pressão ou com as minhas artérias.

É que amanhã, dia 21 de fevereiro, começa minha terceira fertilização in vitro. Desde que levantei de madrugada ontem, acordada pelas cólicas que me visitam todos os meses e vi que a menstruação tinha chegado, esse processo que combina ansiedade, esperança e gratidão por tentar mais uma vez tem me invadido noite e dia.

Na maior parte do tempo, sinto que está tudo sob controle, afinal, o combinado com o novo médico é um “pacote” de 3 FIVs antes de vermos o que fazer a seguir (no meu coração, já sei, esse é o meu limite). Mas é quando a gente menos imagina que percebe que a angústia tá ali, escondidinha. Eu descobri a minha quando sonhei essa noite que um gato me atacava como se fosse um vampiro. E me mordia. E olha que eu adoro gatos! Pesquisando sobre sonhos, vi que o significado desse tipo de pesadelo é… medo.

Taí, medo. Mas sempre fui da teoria que se quero, vou. E se tenho medo… vou com medo mesmo.

É, começa amanhã minha terceira fertilização in vitro. A sorte está lançada. E eu decidi fazer tudo diferente dessa vez: ao invés de guardar esse momento só pra mim e para o meu marido contei para a família e amigos e também dividi com vocês no Cadê Meu Neném?. Aqui, ofereço e busco forças, vindas de quem passa ou passou pela mesma situação e sabe: nós não estamos sós.

 

*Esse texto já foi ao ar durante minha FIV, mas resolvi repetir porque ele dá sequência aos episódios semanais do Diário da Minha Não-Gravidez.

**Se você tem acompanhado o Cadê vai notar que esse post está bem atrasado e que já tive meu positivo <3. Mas achei válido dividir o episódio do diário de hoje porque você pode estar vivendo esse momento e se identificar com alguém que passa pela mesma dor sempre alivia o fardo. Mas se quiser acompanhar a história toda no diáro, com começo, meio e fim, clique aqui.

Ah, e se tiver uma história para me contar, me procure na página do Cadê no Facebook, clicando aqui.


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *