26 de junho de 2016

Querido diário,

fui com meu marido visitar um casal de amigos que teve neném há pouco. À parte o papo entre eles e o outro casal que os estava visitando que, claro, falavam dos encantos da maternidade e paternidade (e como sempre dá uma apertada no coração da gente), estava indo tudo muito bem e até saímos para tomar um sorvete. more “26 de junho de 2016”

20 de junho de 2016

Querido diário,

sabe o luto? Quando você perde alguém que amava muito e precisa passar por um período de recolhimento, por alguns dias – ou meses ou anos – tentando entender aquela dor, e depois conviver com ela para, por fim, sobreviver apesar dela e seguir em frente? more “20 de junho de 2016”

“Aprendi a ressignificar a dor de 5 perdas espontâneas e hoje sou realizada como mãe desses anjos e de uma pré-adolescente”

“Dois anos depois de casada, comecei a tentar engravidar e achei que seria rápido, mas estava enganada. Foram 33 meses de tentativas, frustrações e um luto mensal por algo que eu nunca tinha vivido. Era um sentimento bem doído, mesmo. Neste tempo, eu e meu marido fizemos alguns exames simples, que nada detectaram. more ““Aprendi a ressignificar a dor de 5 perdas espontâneas e hoje sou realizada como mãe desses anjos e de uma pré-adolescente””

“Todos os diagnósticos diziam que minha gravidez seria impossível. Mesmo com hidrossalpinge, mioma e útero retrovertido, tive dois filhos”

“Sempre tive vontade de ser mãe. Adorava cuidar de meus sobrinhos e iniciei minha carreira no magistério com crianças do pré-escolar, então imagine! Casei em 1985 e não fazia nada para evitar filhos, mas eles não vinham. Lembro que quando uma amiga engravidava, eu me sentia triste e até com raiva por não conseguir. more ““Todos os diagnósticos diziam que minha gravidez seria impossível. Mesmo com hidrossalpinge, mioma e útero retrovertido, tive dois filhos””

“Foram oito tratamentos de fertilização e duas perdas espontâneas, com aderência do endométrio ao final. Até que, aos 41 anos, engravidei naturalmente”

“Conheci meu esposo sete anos atrás. Como sou médica, ou seja, estou em uma área que demandou muitos anos de estudo e pesquisa, acabei adiando um pouco meus projetos pessoais. Ter um esposo e filhos, aquela família de comercial de margarina, sempre foi meu sonho, mas a carreira veio antes. more ““Foram oito tratamentos de fertilização e duas perdas espontâneas, com aderência do endométrio ao final. Até que, aos 41 anos, engravidei naturalmente””

“Quando perdi meu filho, enlouqueci. Meu marido foi embora de casa e meu mundo caiu. Mas voltamos a ficar juntos e hoje temos a Maria Alice”

“O sonho de ser mãe me acompanha desde sempre. Acompanhei a gestação das minhas tias, ainda criança, e adorava todo aquele clima. Sempre senti que aquele era o meu grande projeto de vida: ter um filho. more ““Quando perdi meu filho, enlouqueci. Meu marido foi embora de casa e meu mundo caiu. Mas voltamos a ficar juntos e hoje temos a Maria Alice””

“Perdi meu marido em um acidente de carro depois de 3 FIVs sem sucesso. Vivi três anos de luto e muitas lágrimas. Mas me casei novamente e consegui engravidar aos 45 anos”

“Hoje sei que cada luto tem seu tempo. Aos 27 anos, conheci o Eloísio e nos casamos um ano e oito meses depois. Só que, quando a gente decidiu engravidar, tinha um probleminha: nossa casa ficava em Aracruz, município a 80 quilômetros de Vitória. E eu trabalhava na capital, então passava os dias de semana na casa dos meus pais. more ““Perdi meu marido em um acidente de carro depois de 3 FIVs sem sucesso. Vivi três anos de luto e muitas lágrimas. Mas me casei novamente e consegui engravidar aos 45 anos””