Infertilidade em forma de romance: “Stay with me”

Dia desses, eu estava lendo um dos meus sites preferidos, o Refinery 29 e me deparei com o seguinte post: “Por que essa escritora de 20 e poucos anos escolheu explorar a infertilidade em seu primeiro romance?”. É claro que fiquei curiosa e pensei em contar a história para vocês.

A verdade é que a escritora nigeriana Ayobami Adebayo, de 29 anos, decidiu escrever “Stay with me”, ainda sem previsão de lançamento no Brasil, porque ao pesquisar uma doença chamada “anemia falciforme”, da qual descobriu ser portadora, acabou se deparando com pesquisas sobre a infertilidade e ficou tocada. Ela percebeu que ambas são dores silenciosas e colocou os protagonistas de seu romance, Yejide e Akin, vivendo essa questão.

O casal, que vive em uma sociedade poligâmica decide começar uma família sozinho e vive um drama comum a todas nós: a ausência da gravidez com o passar dos anos. Com o tempo, Akin se rende às tradições de sua comunidade e se casa com uma segunda esposa. É aí que começa a solidão de Yejide, definida pelo site Refinery 29 de uma maneira que tocou meu coração: “o livro costura todas as crenças melancólicas e encantadoras que seus personagens constroem para sobreviver ou mesmo explicar a insuportável dor da ausência de filhos, o luto não-falado”.

A consequência é um casamento abalado por um misto de ansiedade, falta de comunicação e isolamento pela longa espera, que afeta seus laços de confiança. A culpa e a força dos protagonistas também está presente o tempo todo e Ayobami Adebayo se preocupa em dar voz a casais que sofrem com a infertilidade, com essa dor indizível e procuram manter a esperança mesmo em meio a todas as turbulências.

Eu não vejo a hora eu esse livro seja lançado no Brasil, mas por ora me contentei com um trechinho dele, destacado pela reportagem:

“‘Se o fardo é demais e muito longo, mesmo o amor se dobra, racha, chega perto de se romper e, às vezes, se rompe’, observa Akin enquanto vê seu casamento se esfarelar lentamente. ‘Mas mesmo quando está em mil pedaços ao redor de seus pés, isso não significa que não seja mais amor’”.

 

 


One thought on “Infertilidade em forma de romance: “Stay with me”

  1. […] vou explicando logo de cara que não acredito que adoção seja método para tratar infertilidade. N... cademeunenem.com.br/adocao-nao-sao-apenas-9-meses

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *