Obrigada por tudo, Bolotinha

“Existe uma Pri antes e outra depois do Bolotinha”, disse uma amiga que me conhece desde os meus 6 anos de idade. Ela sabe o que fala. Antes eu tinha medo de cachorros, eu não entendia o sofrimento de quem perdia seu bichinho de estimação – apesar do esforço de empatia – e eu era muito rígida com a casa: tudo deveria estar limpo, perfeito e no lugar. Depois que ele chegou, em setembro de 2009, quando eu e o marido ainda nos adaptávamos com uma casa nova, tudo mudou. E eu mudei.

more “Obrigada por tudo, Bolotinha”

Já investigou trombofilia como causa de infertilidade ou perdas?

Hoje meu post abre com uma pergunta bem séria: você já investigou trombofilia como causa de infertilidade ou perdas? Dia desses estava vendo um Stories do @dr.rodrigorosa no Instagram e ele contava que uma parte considerável das perdas espontâneas é causada por trombofilia. Se vocês estão por aqui faz tempo, também conhecem minha história e já leram essa entrevista que fiz com o médico que diagnosticou minhas questões autoimunes e me curou, o dr. Ricardo.

more “Já investigou trombofilia como causa de infertilidade ou perdas?”

2019 está acabando. Ainda bem?

“2013, o ano que insiste em não terminar”. Essa foi a minha lembrança do Facebook essa semana. Lembro bem o porquê. Eu tinha feito minha primeira fertilização in vitro e implantado dois embriões. E naquela semana peguei o resultado negativo do beta hcg. Como já contei aqui no diário, eu tinha expectativas irreais do sucesso de uma FIV e não fui nada acolhida pelo médico na época, uma combinação explosiva para a tristeza que me levou à frase acima. E a chorar diante do meu chefe no trabalho. E em vários dias que se seguiram a este acontecimento.

more “2019 está acabando. Ainda bem?”

Pode chorar

“Desde que descobri a infertilidade me tornei uma pessoa triste, sem vida e cheia de mágoas. Tento melhorar, mas algo me puxa pro mau humor”. Foi esse comentário encontrado em um grupo de FIV no Facebook* que motivou meu post de hoje. As respostas**?

more “Pode chorar”