Gravidez química: quando o beta positivo não significa gravidez

Você já ouviu falar em gravidez química? Então imagine a cena. A menstruação atrasou. Você não quer criar falsas esperanças, então espera o aplicativo avisar que o atraso já passa de 10 dias. Sua menstruação nunca atrasou tanto. Certo, este é um bom motivo para pedir um delivery de farmácia com o teste de gravidez. O teste chega e, ainda mantendo uma aparente frieza, você espera até depois do almoço para fazer. Para surpresa total (ou não, afinal, você já tenta há muito tempo), o resultado é positivo. Calma. Respira. “Vamos manter a calma”, diz seu marido. “Vamos é correr para fazer o beta!”, você pensa. E lá vão os dois em direção ao laboratório com o coração na boca.

O resultado sai no mesmo dia. Positivo! Um misto de alegria, surpresa, encantamento e esperança ocupa sua cabeça e seu coração. É irresistível contar ao menos para os pais de vocês. Mas a obstetra segura seus pés no chão: “repitam o exame em 48 horas. Esse número precisa dobrar”.

São 48 horas felizes, em que vocês fingem que não estão fazendo planos, mas você já calculou as 40 semanas e a provável data do parto, sonhou com o sexo e o nome do bebê e pensou: a natureza não ia fazer isso comigo. Sou saudável e se cheguei a esse positivo, é porque é pra ser.

Exatas 48 horas depois, de volta ao laboratório, o coração parece sair da boca. E o resultado…

Não sei se vocês se lembram, mas já contei aqui do filme “O fabuloso destino de Amélie Poulain” e esta cena descreve exatamente o que você sente na hora: todas as suas células parecem se esvair. Sua alma escorre pelo chão rapidamente, mas volta. Afinal, você sabia que poderia não ser. Você sabia que tinha sido “fácil demais”. O resultado subiu muito pouco. A obstetra fala: “que pena. Foi uma gestação química. Mas quem sabe logo não acontece?”. É. Quem sabe?

A gravidez química acontece quando o espermatozoide realmente fecunda o óvulo. Mas não vai pra frente por uma série de razões, de má-formação a não implantação no endométrio.

Achei bem clara a explicação do site da Clearblue, empresa especializada em testes de ovulação e gravidez: “Uma gravidez química é uma perda de gravidez muito precoce. Uma ultrassonografia não detectaria um feto, mas seu corpo produz o hormônio hCG, então o resultado seria positivo. A menos que você fizesse um teste de gravidez, você não saberia que estava grávida, pois em uma gravidez química você não apresentaria sintomas relacionados à gravidez. Muitos especialistas acham que as gravidezes químicas ocorrem por razões semelhantes às de muitos outros abortos, devido a problemas cromossômicos com o bebê em desenvolvimento”.

Com o resultado em mãos, resta juntar os caquinhos de um coração partido e esperar a vinda da menstruação para começar tudo novamente. Sem contar que, em mulheres que têm casos repetidos de gravidez química, é necessária uma investigação mais aprofundada, claro.

Mas por que estou contando isso aqui? Para apavorar você que, todos os meses, espera ansiosa que sua menstruação não venha? Para desestimular você que pensa que se o beta deu positivo não tem mais erro? Não, é claro que não. A ideia aqui é oferecer uma almofada para que a queda não seja tão dolorida se você passar por uma gravidez química. É mostrar que dá, sim, para derreter como a Amélie Poulain e voltar a se fortalecer. E é, principalmente, falar: não, não aconteceu só com você.

Foto: Flickr/Alex Bellink


2 thoughts on “Gravidez química: quando o beta positivo não significa gravidez

  1. Fabi Responder

    Sou tentante a 5 anos , e no começo do ano após realizar minha primeira FIV, descobri a existência dessa tal gravidez quimica. Você, como sempre em seus textos, descreveu perfeitamente a maneira como me senti. Estava esperançosa e ao mesmo tempo fria até o dia do beta, pois eu sabia que podia dar errado, afinal dos meus 9 óvulos maduros, consegui transferir 2 embriões em D3 classe C. Então a notícia: Positivo! E as palavras do médico: Parabéns, você está grávida! Meu Deus, o que foi aquela sensação? Parecia que eu ia ter um treco, corpo tremendo, lagrimas descendo, meu esposo e eu abraçados num choro de gratidão, alívio, grande alegria! Involuntariamente os sonhos começam, mesmo sabendo que o exame deveria ser repetido após 48 hs para confirmar. Minha família precisava saber, mãe, pai e irmão vibraram com a gente. Foram 48 horas muito felizes,eu tava me achando a mãe do ano, até que saiu o resultado do segundo beta. Eu olhei e já meio que entendi, mas mandei pro médico ainda com esperança, ele disse : não evoluiu como deveria, é possivelmente gravidez quimica. Numa breve explicação descobri o que era, que não era. Alegria acabou, acordei do meu sonho, desespero chegou. Como eu disse ao meu esposo, não teria sido tão doído se fosse negativo desde o começo. Mas, hoje após 2 meses, já me sinto melhor, vida que segue, se aconteceu dessa forma é porque Deus permitiu que fosse assim. E não vou parar por aqui, essa foi apenas mais uma batalha perdida, acredito muito que a vitória ainda vai chegar.
    Obrigada Pri por seus depoimentos tão sensíveis, pois muitas vezes eles me confortaram e me fizeram achar a força novamente.

    1. Pri Portugal Responder

      Eu que agradeço pelas palavras, Fabi. Sinto muito pela sua dor e estou na torcida para tudo dar certo. Estamos juntas! <3

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *