Quando é hora de parar de tentar engravidar? Abrir mão de ter filhos é uma ferida que nunca cura?

Eu sempre brinco que essa é a pergunta de um milhão de dólares: quando é hora de parar de tentar engravidar? Como essa trajetória da infertilidade é muito dolorosa e cheia de altos e baixos – a cada novo diagnóstico e tratamento nasce uma esperança, a cada visita da menstruação, chegamos ao fundo do poço – o difícil é mesmo saber quando desistir. Sim. Desistir. Parece um palavrão, afinal, a gente vive em uma sociedade em que desistir parece coisa de perdedor. Mas não é. Não necessariamente.

Nos meus dias de altos e baixos, eu fico realmente dividida entre seguir o exemplo da mãe que não quis mais fazer tratamentos de fertilidade, adotou e é feliz. Ou da mulher que optou por não adotar e não ter filhos. Ou ainda da que engravidou depois de oito FIVs e muito sofrimento. Sempre que entrevisto alguém para a seção “Depoimentos” aqui do site, essa é uma pergunta que faço: “quando você decidiu seguir adiante?” Ou então “quando resolveu parar de tentar engravidar?”.

Afinal, essa decisão, esse ponto final, esse rumo que damos para as nossas vidas é único, pessoal e intransferível. Essa semana, pesquisando um vídeo com uma mensagem bonita para exibir no sábado, quando teremos o primeiro Encontro de Apoio e Acolhimento Cadê Meu Neném?, me deparei com milhares de mensagens “de motivação” que diziam sempre: “Não desista!”. Mas será que não desistir é mesmo o melhor caminho? Ou é, como fala minha mãe, dar murro em ponta de faca?

 

Casais que resolveram parar de tentar engravidar, mitos e verdades

Foi aí que, avançando nas pesquisas, me deparei com o site da ONG americana Resolve e, em meio a tantas informações e depoimentos, um deles me chamou a atenção especialmente: o de um casal que não conseguiu ter filhos. Entrei em contato com a diretora da ONG, a querida Betsy Campbell, e pedi autorização para reproduzir um trecho do texto aqui, em português. Se você entende inglês, recomendo que clique aqui e leia o post na íntegra porque vale a pena. Ele é bem honesto e fala sobre os mitos e verdades envolvidos na decisão de parar de tentar engravidar.

Segundo a experiência que a ONG teve ao lidar com casais que desistiram, a decisão veio acompanhada da superação de um luto: o luto por um sonho que não se realizou. Depois que essa fase passa, os casais costumam focar suas energias em outras áreas de suas vidas: o trabalho, a família estendida, os amigos, as viagens, um serviço comunitário… “Ao aceitar uma vida sem filhos, você aprende a viver sua vida olhando para frente ao invés de olhar para trás”, em resumo.

Aqui, quero chamar a atenção para os mitos e verdades, que foi a parte mais reconfortante que encontrei no site da Resolve porque responde a muitos dos meus medos caso eu decida parar de tentar engravidar. Dá uma olhada:

Mito 1: “Não ter filhos significa sentir essa dor que está aí no seu peito para sempre”. Isso não é verdade porque apenas parte da dor que você sente hoje é realmente a falta de um filho. Um pouco é o processo de luto que você está vivendo. Outra parte é a incerteza de um dia ser (ou não) mãe.

Mito 2: “Uma vida sem filhos é vazia”. Casais sem filhos vão atrás de outros interesses seja no trabalho, sejam hobbies, sejam causas políticas ou até um trabalho social com crianças.

Mito 3: “Se eu não tiver filhos, vou ficar triste toda vez que eu vir uma criança”. Depois que a decisão de não ter filhos é tomada, os casais têm poucos momentos de tristeza.

Mito 4: “Se eu não tiver filhos, serei infeliz na velhice”. Filhos não são um seguro contra a solidão na velhice. Não tem como saber se seus filhos morariam perto de você ou te ofereceriam conforto.

Mito 5: “Vai parecer loucura desistir de engravidar depois de tudo o que passamos”. Ninguém pode decidir o que é certo para você. É sua vida. Decidir não ter filhos não tira a importância desses anos de tentativas. Vocês dois compartilharam algo importante e esse período terá fortalecido sua relação e seus valores, além de deixá-los mais unidos.

Mito 6: “Se não tivermos filhos, vamos nos arrepender depois”. É claro que haverá dias em que vocês estariam mais felizes se tivessem feito outra escolha. Todo mundo sente isso. Provavelmente casais que adotaram ou mesmo engravidaram também sentem um arrependimento em determinadas situações.

 

*Foto: Reprodução/Filme “Alice no País das Maravilhas”


5 thoughts on “Quando é hora de parar de tentar engravidar? Abrir mão de ter filhos é uma ferida que nunca cura?

  1. Valéria Leonel Responder

    Oi Pri, acompanho suas postagens via insta e adorei esta abordagem com esse tema tão temido por nós tentantes! Se um dia eu “precisar” desistir de ter o tão sonhado e esperado filho, já me vi muitas vezes lá na frente como uma fracassada, a q não pode ter filhos .. mas como foi dito num trecho ali em cima, é NOSSA vida .. somos nós quem decidimos e sabemos a hora certa pra cada decisão tomada! Sou tentante já tem uns três anos, mas de fevereiro pra cá intensifiquei mais meu tratamento, tenho SOP nos ovários direito e esquerdo, não ovulo e tenho a testosterona muito alta (mais alta q o normal para um organismo masculino), fiz tratamento para controlar tudo q estava fora do lugar e a ultima tentativa q minha gineco adotou foi a indução da ovulação através do Clomid. Comecei a tomar ontem e aguardaremos para saber se teremos um resultado bom! A Dra chegou a citar “clinica de fertilização” pra mim e como eu estava sozinha na consulta fiquei meio apavorada, soou como se eu fosse lutar mais uma vez e não teria resultado positivo. Esses medicamentos judiam demais e as vezes penso em desistir, porém tenho um sonho maior, q por vezes tento nem pensar nisso para não ficar batendo na mesma tecla sempre e pirar, mas no meio social sempre tem as perguntas: Pra quando vão encomendar um filho? Já está na hora! A resposta está sempre na ponta da língua, mas por educação, sorrimos e respondemos qualquer coisa rsrsrs .. bom é isso, quis dividir um pouquinho da minha batalha para ser MÃE!! Beijos querida.

    1. Pri Portugal Responder

      oi, Valéria, fico muito feliz que acompanhe o Cadê. Espero de coração que se sinta acolhida e abraçada nesse espaço aqui. Eu vou te falar que já pensei em desistir muitas vezes. Inclusive desisti por um período, mas ainda não era “de verdade”, sabe? Pq todo mês eu continuava com esperanças. Hoje acho que, quando decidir parar de tentar, vou voltar a tomar pílula por um tempo, para por um ponto final nessa história mesmo… mas quando esse dia chegará? Ainda não tenho essa resposta. Só sei que a luta fica mais fácil quando dividida com pessoas como vc. <3 Beijinho

  2. Lílian Responder

    Oi, Pri, sempre trazendo empatia e reflexão sobre os temas. Já ter um filho, o fato de tentar e não conseguir o segundo pode até atenuar o luto de das perdas, mas não é suficiente para não senti-los como dor legítima, apesar de achar que ela nunca vai passar, ler o mito 1 me reconforta um pouco. Obrigada! <3Bjs

    1. Pri Portugal Responder

      Fico muito feliz, Lílian <3. Também estou nesse mesmo processo de entender se é hora de parar. Estamos juntas.

  3. Lilian Responder

    Mais um texto com empatia e auxílio. O fato de já ter um filho pode até amenizar a dor das perdas na tentativa do 2º filho, mas não faz com que a dor não exista e que pereça que não irá passar nunca, por isso o mito 1 me trouxe um pouco de conforto. Bjs <3

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *