Afinal, histerossalpingografia dói?

Histerossalpingografia. Nome horrível, procedimento idem. Em todos esses anos investigando a causa da minha infertilidade, acabei me deparando com o pedido médico que eu mais temia: o do exame histerossalpingografia. A ideia era investigar o útero e as trompas para tentar entender a razão, o porquê depois de tantos anos tentando engravidar, ainda não tinha acontecido.

Como sempre, fui pesquisar no “dr. Google” para ver se encontrava algum referência. E os depoimentos que li foram assustadores. Comentei com uma amiga de Curitiba que eu já estava me enrolando há seis meses de medo de fazer a tal histerossalpingografia. E ela me disse: faça com o meu médico: o convênio cobre e ainda ele faz com anestesia. Rodei a cidade inteira atrás de alguém que fizesse assim. Não tive dúvida, fui de mala e cuia para Curitiba e fiz o temido exame com internação e anestesia. Realmente não senti nada, nem no pós-operatório.

Meu médico de São Paulo achou muito estranho realizar com anestesia. Depois do alívio de saber que estava tudo bem com as minhas trompas, fui atrás de mais informações e descobri que não é todo mundo que sente dor, embora a maior parte das leitoras aqui do Cadê relate este como o exame mais dolorido de todo o processo. E desde então eu tenho me perguntado: se a histerossalpingografia traz sofrimento para tanta gente, por que é tão difícil encontrar um lugar que faça com anestesia?

Com essa pulguinha atrás da orelha, fui conversar com a dra. Adriana de Góes, médica especialista na área de reprodução assistida e obstetrícia a respeito. Veja:

 Dra. Adriana de Góes

Para que serve o exame de histerossalpingografia?

A histerossalpingografia (HSG) é um exame ginecológico que utiliza raio-x com contraste com o objetivo de identificar a condição das trompas uterinas e eventualmente algumas malformações uterinas.

 

Toda mulher pode fazer?

O exame é indicado para todas as mulheres que apresentam dificuldades para engravidar e querem investigar as trompas.

 

Quando a histerossalpingografia deve ser feita?

Evita-se fazer após o período ovulatório, para que não corra o risco da mulher estar grávida, afinal é colocado um contraste dentro da cavidade uterina que poderia prejudicar a evolução de uma gravidez.

 

Ela deve ser feita em qual etapa do processo?

O exame de histerossalpingografia é indicado assim que começa a investigação da infertilidade e quando temos dúvidas se devemos fazer inseminação, que é colocar o semêm dentro do útero, ou fazer fertilização in vitro, que é colocar o embrião pronto na cavidade uterina.

 

Quem não precisa fazer?

Eventualmente, não é realizado quando a mulher apresenta algum diagnóstico de qualquer outra doença que já indique a fertilização in vitro, assim como alteração grave do sêmen do parceiro, pois na FIV não serão utilizadas as tubas uterinas.

 

Por que todas as meninas relatam que dói tanto?

O desconforto durante o exame é inerente ao procedimento, mas varia de acordo com a habilidade do profissional e também a paciente. Alguns profissionais mais experientes, ao invés de injetarem o contraste de uma forma rápida, fazem isso de uma forma mais lenta, na menor quantidade possível, para gerar menos desconforto para a mulher.

 

É possível fazer com anestesia? Por quê?

Não se faz este exame com anestesia porque a anestesia não é um procedimento inócuo.

 

Quais tipos de doenças a histerossalpingografia detecta?

As doenças diagnosticadas no exame são basicamente as malformações uterinas, que podem ser: útero bicorno, presença de pólipos no endométrio e miomas, que são tumores benignos do útero e podem atrapalhar a gravidez. O principal objetivo do exame é a avaliação das trompas uterinas que, se estiverem dilatadas ou obstruídas, podem ter a função prejudicada e impedir o adequado encontro do óvulo com  o espermatozoide.

 

Como essas doenças podem ser tratadas?

O tratamento é indicado de acordo com os exames analisados pelo médico. Um pólipo ou um mioma normalmente podem ser retirados por via histeroscópica. Já para as alterações tubárias, como hidrossalpinge e dilatação tubária, pode ser indicada uma cirurgia de retirada das trombas dilatadas e aumentar as chances de gravidez no processo de fertilização in vitro.

 

Para saber mais sobre a dra. Adriana de Góes, clique aqui.

 

Foto: Flickr/Jay Galvin


8 thoughts on “Afinal, histerossalpingografia dói?

  1. Gisele Cano de Oliveira Responder

    Oi Pri, acho que comentei com vc que já fiz esse exame 3 vezes, aliás já passei com a Dra Adriana e na época ela comentou que não sabia pq tinham me pedido pra fazer tantas vezes (e ainda bem não me pediu de novo), rs
    Realmente é um exame dolorido, algo como uma cólica forte mas ao menos não é demorado, tive 3 experiências distintas e te digo que a humanização do atendimento (especialmente da última), mesmo eu tendo sentido um pouco de dor em todas, fez toda a diferença. O mesmo acontece com a histeroscopia diagnostica, que já fiz umas 4x, mesmo tipo de desconforto, amenizado qdo há humanização no atendimento. Aliás, acho que na área médica se houvesse sempre essa preocupação com a humanização, todo e qualquer procedimento seria menos traumático pra gente.

    1. Pri Portugal Responder

      Disse tudo, Gi. Concordo plenamente! <3

  2. Débora Responder

    Foi o pior exame que já fiz na vida, quase desmaiei de dor, porém acho que varia de pessoa para pessoa, minha amiga fez a disse que doeu pouco e ela engravidou no primeiro ciclo após o exame!
    Apesar da dor, vale a pena para descartar algum problema mas trompas!

    1. Pri Portugal Responder

      Obrigada pelo seu comentário, Debora. Realmente varia muito de uma mulher para outra e o tratamento humanizado por parte do médico, como disse a Gi em um comentário aqui, ajuda muito. Bjinho.

  3. Adriana Comparsi Responder

    Olá! Fiz o exame em Porto Alegre na Fugare! Exame tranquilo sem dor, o médico fica presente no exame , faz anestésico local. Podem ir tranquilas !!
    Beijo!😊🙏🏻💕

    1. Pri Portugal Responder

      Muito bom ouvir histórias felizes, Adriana. Obrigada por dividir <3.

  4. […] um médico. Comentei que estava tentando engravidar e ele me passou vários exames hormonais e uma h... cademeunenem.com.br/heitor-morreu-trombofilia
  5. […] família. Um ano se passou e nosso bebê não veio. Procurei um médico e fiz alguns exames, como a ... cademeunenem.com.br/ovario-policistico-varicocele-trombofilia

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *