Garrafada, sabedoria popular brasileira e a fertilidade feminina

Não foi uma nem duas vezes que me indicaram uma garrafada que ajuda a engravidar. Muitas pessoas me falaram sobre a medicina natural brasileira – feita de plantas e raízes, originalmente em tribos indígenas e quilombos – e seus poderes de cura para a infertilidade.

Aliás, você sabia que a própria Organização Mundial de Saúde estimula países de grande diversidade biológica a desenvolverem programas que incorporem o conhecimento do uso tradicional das plantas medicinais no sistema básico de saúde? Tem um monte de estudo a respeito nesse link aqui.

Pois é. Mas eu, que moro na selva de pedra paulistana, tenho a impressão de não ter acesso a esses medicamentos e por isso nunca consegui experimentar. Mas acredito, e muito, no poder da natureza para ajudar a gente a se tornar mamãe, então vou dividir com vocês essa descoberta que fiz hoje. Tardia, porém genial.

Trata-se de um livro chamado “Farmacopéia Popular do Cerrado”, que pode ser baixado gratuitamente aqui e nada mais é que um sistema de registro de conhecimentos tradicionais associados à biodiversidade. Um  grupo de pesquisadores foi até comunidades do Cerrado e povos indígenas, com o intuito de proteger e promover o uso de plantas medicinais por raizeiras e raizeiros da região. Não é incrível? A pesquisa de campo foi realizada no período de 2001 a 2005, nos estados de Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Maranhão, e a publicação aconteceu em 2009, mas sempre é tempo de correr atrás de mais conhecimento, né?

O livro reúne a sabedoria de 262 raizeiras, raizeiros e representantes de farmacinhas comunitárias e faz parte de um projeto da Articulação Pacari, chamado “Autorregulação da medicina tradicional”. Sempre acreditei que a medicina alopática não é o único caminho para a cura e, definitivamente, os medicamentos da indústria farmacêutica são os que mais oferecem efeitos colaterais, como você deve bem saber. Estou recomendando aqui que você não vá ao médico se sentir doente? NÃO! Mas estou recomendando que, sim, você se empodere com conhecimento para poder tomar suas decisões baseada em muita informação.

Claro que não resisti e pesquisei quais são as plantas do Cerrado que rendem uma boa garrafada e soluções naturais para a fertilidade feminina e encontrei quatro. Vamos a elas:

 

Garrafada, chá de raiz e tapioca: forcinhas para engravidar naturalmente

A pé-de-perdiz mede em torno de 30 a 40 centímetros e geralmente é encontrada formando moitas. Os raizeiros afirmam que existem dois tipos: a planta fêmea (ou lisa) e a planta macho (ou peluda). O uso da pé-de-perdiz lisa é mais indicado para a mulher e sua raiz é anti-inflamatória e depurativa do sangue. Ela é usada para tratar infecção do útero e ovário, estimular gravidez, regular menstruação e limpar o útero, após o parto. Nada mal, né? A raiz da pé-de-perdiz pode ser usada em pedaços ou em pó. Ela é preparada na forma de garrafada, com vinho branco ou cachaça, associada a outras plantas . A raiz é também usada para preparar chá, feito em forma de infusão, escaldando-se a raiz com água fervente.

 

A batata-de-purga é um cipó que se utiliza de outras plantas como suporte para crescer. Da batata-de-purga também se faz a tapioca ou goma. Ela é descascada e ralada para obter uma massa, que é misturada com água e depois coada num pano. Aí, a água da massa deve ser deixada em repouso, até que seu pó se assente no fundo da vasilha. O pó fino assentado é a tapioca, e a água que fica por cima é a mandipoeira. A mandipoeira e o chá das sementes da batata-de-purga são purgantes, e tratam coceira, dor na uretra e cólica menstrual.

 

O barbatimão é uma árvore de aproximadamente 3 a 5 metros de altura. A sua copa pode ser reta com os galhos para cima ou aberta com os galhos espalhados para os lados. A casca do tronco deve ser seca à sombra, logo após sua coleta, por três dias, e socada no pilão até virar pó. O barbatimão é um cicatrizante de feridas da pele, para tratar gastrite, úlcera, infecção no útero, corrimento vaginal e coceira. Para o tratamento de infecção no útero, usa-se o barbatimão em garrafadas, geralmente associado com outras plantas. Para coceira e corrimento vaginal, recomenda-se fazer banho de assento, preparado com o chá da entrecasca seca.

 

O algodãozinho é uma planta de talos compridos e sua garrafada é usada para tratar mioma no útero, coceiras e manchas na pele. Seu polvilho é usado como anti-inflamatório, principalmente para tratar inflamações de útero e ovário, menstruação desregulada, doenças sexualmente transmissíveis, gastrite e úlcera. Para preparar o polvilho, a batata fresca do algodãozinho deve ser lavada, descascada e ralada. Em seguida, misturada à água e coada. Depois, esfrega-se a massa contra o pano, torcendo-o bem forte, para que o polvilho se solte. O coado deve ser colocado em repouso para que o polvilho se assente. Por fim, retira-se a água e coloca-se o polvilho para secar. A água retirada pode ser aproveitada para fazer garrafada. O polvilho seco deve ser guardado em uma vasilha com tampa.

 

ATENÇÃO, meninas: automedicação, nunca! Confie na sabedoria popular brasileira, e com responsabilidade: as dosagens devem ser precisas. Se não, podem se tornar tóxicas. E o uso desses medicamentos não é indicado para mulheres grávidas nem para crianças.

 

 

*Foto: Flickr/ Thiago Melo


4 thoughts on “Garrafada, sabedoria popular brasileira e a fertilidade feminina

  1. renata Responder

    Garrafada ajuda a engravidar sim, pois lumpa o utero aqui no para e muito comum tomar e conheco muita genre que ja engravidou

    1. Pri Portugal Responder

      Também já ouvi histórias, Renata, por isso escrevi o post. Quanto mais informações tivermos, mais empoderadas ficamos para tomar nossas decisões, né? 😉 Bjinho, Pri Portugal

  2. Regiane de Fátima Responder

    Alguém pode me dizer se homens pode tomar essa garrafada tambem? Meu marido tem cisto nos testículos e eu tenho no ovário.

    1. Pri Portugal Responder

      Oi, Regiane, seja bem-vinda ao Cadê Meu Neném? Desejo que se sinta acolhida. Até onde sei, algumas ervas são para o aparelho reprodutor masculino e outras para o feminino. Não seria a mesma garrafada, portanto. Mas sou apenas uma pesquisadora, vale você se informar con quem entenda mesmo de medicona natural. Bjinho, Pri

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *