Está mais do que na hora de incluir a FIV na cobertura dos planos de saúde

Vamos brigar para incluir a FIV na cobertura dos planos de saúde? Essa já virou uma luta do Cadê Meu Neném!Não bastasse a frustração – e muitas vezes o medo – de saber que precisamos nos submeter a vários exames até ter algo minimamente parecido com um diagnóstico, muitas vezes ainda temos que aceitar que o plano de saúde não cobre os mais importantes deles. Na real, muitas vezes os planos não cobrem nem a consulta com um médico especialista em fertilidade.

Eu mesma, no último procedimento a que me submeti, uma raspagem do endométrio, ouvi a secretária do hospital perguntar admirada: “mas seu plano cobre procedimento de histeroscopia? Eles não costumam cobrir”. Claro que meu plano de saúde não cobria. Paguei para uma médica particular mesmo.

Acontece que a gente pode ajudar a mudar essa situação. É que existe a Lei 9263, de 1996, que prevê como planejamento familiar, entre outras coisas, ações para o aumento de prole. Ou seja, filhos. Só que, apesar disso, ignora-se a FIV na cobertura dos planos de saúde.

Conversamos com a advogada Verônica Lima Fornari, do escritório Fornari e Gaudêncio Advogados Associados, que atua contra planos de saúde. Ela explicou como funciona: “a cada dois a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) revisa o rol de procedimentos de cobertura médica mínima. Quem ajuda na elaboração são as entidades de classe, como os Conselhos Regionais de Medicina, e a população, que pode opinar através de consulta pública. O que impulsiona essa revisão são as reclamações dos consumidores na própria ANS, quando existem negativas de cobertura por parte do plano. Resumindo: a melhor forma de brigar pela inclusão é formalizar uma reclamação quando houver recusa abusiva. Quando não houver jeito, verificar a possibilidade de resolver o problema na justiça”, orienta.

 

O que você pode fazer para incluir a FIV na cobertura dos planos de saúde?

Está rolando uma grande mobilização entre as quase-mamães para promover uma alteração na lei. E a gente precisa de MUITO apoio. Então, entrando aqui nesse site do Senado e demonstrando seu apoio, você concorda com a seguinte sugestão: “incluir no rol de cobertura da lei 9656/98 a fertilização in vitro/inseminação artificial para os casais que sofrem de infertilidade irreversível, devidamente comprovado por laudos e exames médicos cuja única maneira de efetivar o planejamento familiar previsto na CF/88 seja através desses procedimentos em razão da dignidade da pessoa humana”.

Se a ideia receber 20.000 apoios, ela vai se tornar uma Sugestão Legislativa e será debatida pelos Senadores. No momento, ela tem menos de 2.000. Eu já votei, é claro. Vamos nos mobilizar, meninas? Mandar esse link para os nossos maridos, familiares e amigos e pedir a ajuda de todo mundo? Vamos virar esse jogo e incluir a FIV na cobertura dos planos de saúde?

 

 

 

Foto: Flickr/ bestreviewsbase.com


15 thoughts on “Está mais do que na hora de incluir a FIV na cobertura dos planos de saúde

  1. Marilane Andrade Responder

    Queremos que a fiv seja aceita pelo convênio médico .

  2. RAIKA GOMES ARAUJO Responder

    Não tenho palavras para descrever o que sinto.
    so sei que há quase sete anos, quando o desejo de ser mãe surgiu, parei com a pilula e um ano depois, engravidamos (abortamos espontaneamente). Dois anos depois, em 2014, engravidamos, natural, novamente… outro aborto espontaneo. Resolvemos investigas a prossiveis causas e desde então, passei por video histeroscopia e laparoscopia cirurgicas para retirada de focos endometrial, miomas intramurais e submucosos e polipos. Alem da descoberta de Adenomiose… Tenho Endometriose profunda e Adenomiose.
    Meu emocional adoeceu…pois me recomendaram FIV por ovorecepçao por causa da idade maternal, nasci em 1973.
    Tenho altos e baixos e nos baixos, só quero mergulhar neste sentimento até a exaustão e depois evaporar.
    Nenhuma dor física dói mais que a emocional…
    Só quem é mãe ou muito quer ser, sabe o que significa essa dor.
    INFERTILIDADE É QUESTÃO DE SAUDE PUBLICA SIM!!!
    E DEVE SER TRATADA E COBERTA PELOS PLANOS DE SAUDE, SIM!!!

    1. Pri Portugal Responder

      Nossa, Raika, posso imaginar sua dor 🙁 Espero de <3 que você se sinta acolhida pelo site. Navegue por aqui, encontre depoimentos de meninas que vivem situações parecidas, entrevistas com diferentes especialistas e, se quiser, te convido a ler o meu diário, que está no cademeunenem.com.br também. Sinta-se abraçada e fique à vontade para conversar sempre que sentir vontade. Bem-vinda ao Cadê 🙂 Beijinho

  3. Vanessa Jost Responder

    Tenho endometriose, tentamos engravidar por alguns anos sem sucesso.
    Então decidimos ajuizar uma ação para que o plano de saúde arcasse com a FIV.
    Deu certo e estamos grávidos de gêmeos!

    1. Pri Portugal Responder

      Que notícia linda, Vanessa <3! Estou muito muito muito feliz por você. Desejo que cada vez mais meninas tenham acesso, por isso estamos com essa campanha. Ajuda a gente a divulgar? Obrigada. Beijinho.

    2. Nascimento Responder

      Oi Vanessa. Poderia nos falar mais sobre esse processo para nos ajudar? Qual seu plano se Saúde? Quanto tempo demorou para a justiça determinar o atendimento pelo plano? Desde já agradeço.

      1. Pri Portugal Responder

        oi, Nascimento, td bem? Bem-vinda ao Cadê Meu Neném? Eu copiei vc e a Vanessa em um e-mail agora. Tomara que ela possa te ajudar. Bjinho, Pri Portugal

    3. Nádia Responder

      Ola pode explicar maia aobre o q fez e como fez pra ajudar a tds aqui???
      Beijos obrigado

      1. Pri Portugal Responder

        oi, Nádia, td bem? Bem-vinda ao Cadê Meu Neném? Enquanto a Vanessa não vê seu comentário, te adianto que nas minhas pesquisas percebi que a decisão varia de juiz para juiz e que tem mais chances de ganhar quem tem endometriose, pois a gravidez é uma das curas para a doença… Bjinho, Pri

  4. […] práticos, principalmente se a gente investiu tudo o que tinha em uma FIV (aliás, aproveite para as... cademeunenem.com.br/musicas-para-levantar-o-astral-spotify
  5. […] tinha tomado indutor de ovulação por oito ciclos! Com esse diagnóstico, eu teria que fazer uma FI... cademeunenem.com.br/sindrome-dos-ovarios-policisticos
  6. […] de fertilização in vitro, mas não cobrem. Só que dessa briga você pode participar. Clique aqui... cademeunenem.com.br/fiv-gratis-existe-funciona
  7. […] fazendo 3 FIVs. Naqueles dias de espera, eu tinha certeza de que estava grávida e chegava a colocar... cademeunenem.com.br/ausencia-espermatozoides-azoospermia
  8. Anônimo Responder

    Vou assinar por ñ ser egoísta. Mas, esse texto não iria me favorecer. Tenho desejo em ser pai. Mas, tbm sou gay e tenho HIV indetectável. Minha mãe faz tratamento para ser minha barriga solidária. Minha fertilização só pode ser por FIV. Pois o sêmen tem q ser “lavado” antes de fecundar.

    Para que eu e tantas outras pessoas fossem beneficiados o texto teria que ser assim:

    “incluir no rol de cobertura da lei 9656/98 a fertilização in vitro/inseminação artificial para os casais ( Heteros e Homoafetivos) que sofrem de infertilidade irreversível, Síndrome de ImunoDeficiência Adquirida, devidamente comprovado por laudos e exames médicos cuja única maneira de efetivar o planejamento familiar previsto na CF/88 seja através desses procedimentos em razão da dignidade da pessoa humana”.

    Infelizmente precisa explicar nos mínimos detalhes às vezes. Pois, nesses casos eles alegariam que a nova resolução ñ inclusive casais homoafetivos e nem HIV+.

    1. Pri Portugal Responder

      olá, Anônimo, bem-vindo ao Cadê Meu Neném?. Desejo que se sinta acolhido por aqui. Eu peço desculpas, pois realmente não imaginava que precisasse estar explícito que o casal poderia ser hetero ou homoafetivo. Para mim é algo tão natural que realmente não passou pela minha cabeça. De qq forma, a redação não havia sido minha – eu não tenho conhecimento jurídico a respeito. Mas pesquisando vi que qualquer cidadão pode propor um projeto de lei. Se vc tiver a iniciativa, me avisa, que assino com prazer e divulgo aqui no site. Olha: http://www2.camara.leg.br/participacao/sugira-um-projeto Bjinho, Pri Portugal

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *