Restaurante Barton G., em Miami

Um dos meus programas favoritos é viajar com meu marido e sair para conhecer um restaurante novo, que ofereça uma experiência marcante. Então, assim que marcamos as miniférias em Miami, pedi dicas a uma amiga que tem casa por lá e ela falou do Barton G. Mas estávamos na dúvida entre esse e outros restaurantes.

Então, fomos a um happy hour com um amigo que mora por lá e novamente pedimos uma sugestão. Ele foi certeiro: Barton G. Arriscamos ir para lá logo em seguida, sem ter uma reserva. E assim que entramos começamos a entender a razão das indicações. A meu ver, nada poderia ser mais “Miami”.

ambiente barton g

Decoração rebuscada, mas divertida. Um ar de ostentação das hostesses aos comensais – era cada look de paetês e brilhos e cada escarpin… Foi literalmente uma viagem a outro mundo. Vejam, ostentação pode ser fun. Na verdade, no limite entre cafona e divertida, e era esse o caso do Barton G.: o equilíbrio era perfeito.

Quando lemos o cardápio de drinques entendemos que a noite estava apenas começando. Os drinques já chamam a atenção de longe: ora levam um picolé que vai derretendo (eu sei, tem muito barzinho aqui no Brasil fazendo isso já), ora levam nitrogênio para você, literalmente, soltar fumaça pelas ventas quando tomar. E são servidos… assim… de um jeito bem criativo

drinque Barton G

Enquanto aguardávamos no bar, começamos a reparar nas mesas e víamos muito mais que pratos em cima delas…

prato Barton G

Talheres gigantes, um taco de baseball imenso com a bola e uma luva, um porco enorme com o prato em cima, um elmo medieval… todos os pratos do Barton G. têm uma decoração pra lá de inusitada, pensada exatamente para a geração Instagram. O camarão empanado, por exemplo, vem em um carrinho de pipoca!

camarao Barton G

Passada a animação do começo, fomos chamados para sentar e eu já antevi pratos sem graça – afinal, imaginei, são pratos para fotografar, e não para comer. Mas qual não foi nossa surpresa quando colocamos a primeira garfada na boca? Meu short rib de Angus com molho barbecue de beterraba estava de comer rezando. Marido não curtiu tanto o pernil de porco crispy com calda adocicada, mas foi porque achou doce demais. Eu, confesso, adorei o prato dele também. E ambos eram, como a gente diz por aí, bem servidos.

O único dó foi não ter conseguido provar a sobremesa mais linda do planeta: uma cabeça de Maria Antonieta feita de algodão-doce com balas, milk shake de banana, panna cotta e outros docinhos ao redor. É a que está na imagem que abre esse post. Ainda volto lá só por essa foto! 😉

 

 

Fotos: Reprodução/Instagram @bartongmia


One thought on “Restaurante Barton G., em Miami

  1. […] minha menstruação), a melhor forma que encontrava para me distrair era procurar novos hotéis ou ... cademeunenem.com.br/tres-novos-hoteis-para-conhecer

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *