Coito programado: vale a pena?

Coito programado: nome horrível, tática péssima (para o romance), custo baixo e dor mínima. Se eu pudesse definir esse tratamento da maneira mais breve possível seria assim. Mas, com mais detalhes, fica assim:Por meio do ultrassom transvaginal (aquele que você costuma – ou deveria – fazer todos os anos), que não dói nada, o médico vai avaliando o andamento do seu ciclo e, pelo tamanho dos seus folículos deduz o dia em que você estará ovulando. E ele te orienta a manter relação sexual neste dia.

Mas você sabe o que são folículos? Eles são como a casca que serve de “ninho” para os óvulos. Eles nascem lá dentro e, na hora em que estão maduros, rompem o folículo.

O mais comum, inclusive, é que os médicos receitem medicamentos para que você produza excepcionalmente mais óvulos naquele mês, tanto via oral quanto na forma de injeções subcutâneas, que você mesma (ou seu marido) aplica na sua barriga. Calma! Elas são tão finas quanto uma agulhinha que os diabéticos usam para controlar a glicose do sangue. Isto vindo de uma pessoa que até hoje precisa de acompanhante para tirar sangue. Sério. Você vai tirar de letra!

Neste caso da indução da ovulação, quando os folículos atingem um tamanho considerado adequado, o médico receita outra injeção subcutânea, desta vez com o hormônio hCG, que controla o exato momento em que o folículo vai estourar, ou seja, a hora em que você vai ovular, que normalmente é entre 36 e 40 horas depois. Aí, você vai pra casa e naquela hora precisa manter relação sexual.

Por que eu acho a tática péssima? Porque transar com hora marcada é um balde de água fria no casamento (na minha visão, vale destacar). Eu fiz? Não, não fiz. Por que estou falando sobre o coito programado aqui? Porque, dos tratamentos de fertilização, é o menos agressivo e o mais barato*. A cartela de comprimidos, por exemplo, custa na faixa de R$50. Já a caixinha do hormônio injetável sai por uns R$300. Em ambos os casos, é preciso da injeção hCG, que custa por volta de R$90. Mais a consulta do seu médico (é bom você saber, poucos especialistas em fertilidade atendem planos de saúde) e pronto. Seu custo varia entre R$150 e R$400.

Não é meu objetivo aqui falar os nomes dos medicamentos porque seu ginecologista é que vai indicar o mais adequado para você e, se automedicação já é um perigo em qualquer hipótese, no caso de hormônios X fertilidade você pode piorar ainda mais a sua situação.

 

 

 

*Preços apurados em janeiro de 2017, na cidade de São Paulo.

 

 

Foto: Flickr/ Ruben Alexander

 


9 thoughts on “Coito programado: vale a pena?

  1. […] custou R$4.000, mais ou menos. Este custo envolve os medicamentos injetáveis (tá com medo? Leia aq... cademeunenem.com.br/inseminacao-artificial-pros-contras-e-quanto-custa
  2. […] como foi comigo. Eu não segui a ordem recomendada pela maioria dos médicos que visitei: primeiro c... cademeunenem.com.br/fertilizacao-in-vitro-a-famosa-fiv
  3. […] vamos mentir: os aplicativos têm o mesmo lado ruim do coito programado (lembra que contei aqui?), q... cademeunenem.com.br/aplicativos-que-podem-ajudar-a-engravidar
  4. […] disso, fiquei mais ou menos um ano fazendo o coito programado. Nem sempre dava certo porque se a ge... cademeunenem.com.br/nunca-consegui-engravidar-e-aos-41-anos-entrei-na-menopausa
  5. […] do casal abalado e até mesmo as relações com “hora marcada” de quem faz tratamentos como o co... cademeunenem.com.br/leitura-para-aliviar-a-ansiedade
  6. […] estava errado. Mas pensei que podia ser minha ansiedade. Então, meu médico sugeriu fazermos o coit... cademeunenem.com.br/infertilidade-no-campo-da-imunidade
  7. […] final do ciclo, eu tomava uma injeçãozinha para romper os folículos e partir para o coito program... cademeunenem.com.br/tinha-endometriose-severa
  8. […] meu endométrio era um pouco fino. Começamos, então, um tratamento com indutores de ovulação e c... cademeunenem.com.br/aderencia-do-endometrio

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *