A síndrome da impostora e os 20 talentos

– Eu sofro da síndrome da impostora.

– Pri, você realmente acha que não tem talento?

– Acho. Sei que sou esforçada e o que eu pego pra fazer faço bem feito. Mas é só isso.

– Não é possível. Nem escrever?

– Ah, eu amo o que eu faço e coloco muita dedicação nisso. Aí fica bom.

– Não acredito. Tarefa de casa: você tem um mês para colocar em um papel 20 talentos seus. E não necessariamente relacionados às tuas competências profissionais. Ter empatia, por exemplo, é um talento.

– VINTE? Posso pedir pra alguém fazer por mim? Tipo minha mãe? Meu marido? Uma amiga?

– Não. Só vale se você realmente acreditar.

 

O diálogo acima aconteceu há uns 20 dias no consultório da minha terapeuta de florais, a maravilhosa Ana Roxo. A muito custo, reuni conseguir 12 talentos. Ainda faltam 8, mas tô fazendo a tarefa, Ana!

Mas o ponto aqui não é falar de mim. A verdade é que nós, mulheres, de um modo geral, temos uma enorme dificuldade de encontrar nossos pontos fortes.

Prova disso é que eu passei essa mesma tarefa para duas amigas e, adivinha? Elas nem começaram a elencar seus 20 talentos. Você, que está me lendo aqui, levaria quanto tempo para colocar no papel 20 qualidades suas? Difícil, né?

E essa realidade, não por acaso, vem junto com uma “síndrome” muito comum também entre as mulheres: a chamada síndrome da impostora, já ouviu falar?

A síndrome da impostora é aquela mania que temos de achar que não somos boas o suficiente e das duas uma: ou não nos arriscamos em projetos profissionais, pois não teríamos “nada a acrescentar” ou vencemos o medo, mas ficamos sempre com a certeza de que, cedo ou tarde, vão descobrir que não somos tão boas assim.

A primeira vez que ouvi a expressão “síndrome da impostora” foi em um grupo de minas no Facebook. A ideia da moderadora do grupo era genial: criar uma tabela online, onde todo mundo podia dizer o que desejava aprender e o que podia ensinar. Segundo ela, muita gente que teria coisas bacanas a ensinar não se manifestou, justamente por não se achar capaz para tanto. E foi aí que me identifiquei.

Desde então, tenho percebido essa impressão no discurso de muita gente maravilhosa. Semana passada, entrevistei uma profissional que admiro muito e ela me contou que também sempre “sofreu desse mal”. Dá pra acreditar?

Pois é, mulherada. Então, o que nos resta a fazer? Volto para o começo desse texto: cada vez tenho achado mais bacana a ideia da lista dos 20 talentos e convido vocês a participarem da tarefa: não é fácil, mas pode ser revelador e dar aquela forcinha para a autoestima. Principalmente se vocês estão procurando emprego, pleiteando um aumento ou adiando uma conversa decisiva com o marido, o médico, a mãe…

Ter consciência dos nossos talentos é altamente empoderador e ainda por cima, quando formos mães, poderemos ser pessoas melhores para nossos filhos, não é mesmo?

Valendo!

 

 

 

 

 

 

 


2 thoughts on “A síndrome da impostora e os 20 talentos

  1. Alice Responder

    A foto já demonstra o seu talento de espalhar alegria por onde passa ?

    1. Pri Portugal Responder

      <3

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.