16 de junho de 2016

Querido diário, confesso que após ler o livro da Ana Davini, pensei não ter esgotado todos os exames e todas as chances de ter um diagnóstico e, quem sabe, uma gravidez natural. Talvez a gente procure um novo médico ou mesmo tente mais uma inseminação com este atual.

Não sei. Sei que este ainda é um assunto que povoa meus sonhos, meus dias cinzentos, minha TPM, meus olhos toda vez que vejo uma mãe com um bebê no colo, meu espírito sempre que encontro com uma gestante, minha memória sempre que me deparo com uma história difícil de gravidez que deu certo no final.

E não sei se isso um dia vai passar. Mas a vida se move, como gosta de dizer meu marido, companheiro e amigo para quem, em um dia especialmente difícil, eu cheguei a falar que devíamos nos separar, pois era justo que ele tivesse um filho natural, e eu provavelmente não poderia dar isso a ele…

Sorte que esse diário não termina aqui 😉

 

*Para ler a íntegra do Diário da Minha Não-Gravidez, clique aqui.

Se tem uma história parecida para me contar, me procure aqui.


Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *