Abril de 2014

Viagem marcada e paga, sigo com meu marido rumo a um mês de férias em NY. A esta altura eu já tinha vontade de dar um beliscão e um chute em cada pessoa que me dizia: agora você “desencana”! Ô palavrinha dos infernos. Ninguém que vive um sonho diário e uma frustração mensal há três anos consegue desencanar. Me desculpem, mas se falaram isso pra você, ponho minha mão no fogo como é mentira.

 

*Leia o diário na íntegra clicando aqui.

 

Você já curtiu nossa página no Facebook? Clique aqui e curta para receber atualizações diárias!

 


8 thoughts on “Abril de 2014

  1. Angelita Responder

    É muito fácil quem não passa ou nunca passou por isso falar…as pessoas são campeãs em dar opinião e se achar especialistas no que elas não vivem, ou não viveram.

  2. Ariana Responder

    Eis que olhando o uol, conheço esse blog, eis que começo a ler e me emociono ao ler minha QUASE vida. Estou com meu marido a 10 anos, e comecei desde o começo a engravidar pois queria ser mãe jovem. Ja passei por varios medicos, tenho ovario micropolicistico, ja fiz varios tratamentos e nada. Agora estou na fase de negar que queira, recebo mtas “cobranças”, de quando terei, mas digo que não quero mais, que ja passei fase. Ja tentei fazer com que meu marido me deixasse e arrumasse outra, pois sei da vontade dele de ser pai, porém ele diz me amar e que se tivermos bem,se não amém. Meu sonho um dia foi ter um nenêm, hoje já não sei mais…

    1. Pri Portugal Responder

      Oi, Ariana, td bem?
      Fico feliz que você tenha se identificado, pois já me senti assim muitas vezes também e criei o site justamente para gerar esse acolhimento. <3
      Você teve um diagnóstico?
      Beijinh

  3. Melina Responder

    De tudo que eu ouvi nessa vida de tentante, o que mais me tira do sério é o “desencana que vem”. Será que a pessoa acha que eu sou maluca? Será que ela tá dizendo que eu não sei como faz um bebê? Ou será que ela acha que é fácil simplesmente esquecer que todas as espécies do sexo feminino tem a capacidade de procriar, menos eu e a mula??? Não, não é fácil. Mas bom mesmo é saber que todas nós, as quase mães, sentem exatamente a mesma coisa. E não estamos sozinhas nisso! Pri, pra rir de tudo isso, fiz até uns memes! Quer que eu te mande?

    1. Pri Portugal Responder

      Que maravilhosa, amei! ahahhahaha quero, super!

      1. Melina Responder

        Pri, vou mandar pelo Facebook, ok??? Que vontade de me libertar e publicar seu texto pra todo mundo saber o quanto é ruim a infertilidade por si!

  4. Marcos Responder

    Pri,

    Eu e minha esposa já passamos por essa história do “desencana” várias vezes. Já perdi a conta de há quanto tempo estamos tentando. Eu ainda sofro de depressão, o que muitas vezes aumenta minha angústia. E ver minha mulher sofrendo, sentindo-se culpada e tomando uma infinidade de hormônios, além de fazer exames sem parar, me dói muito.

    Ler o seu diário me fez reviver cada momento que vivemos nos últimos tempos, suas palavras em muitos casos pareciam ganhar a voz da minha esposa. Foi duro, chorei, mas ao mesmo tempo foi bom poder compartilhar a sua história, me senti conversando com uma amiga. Obrigado por criar esse blog, por pesquisar sobre o assunto e postar aqui, transformando sua dor em algo positivo, ajudando pessoas que passaram ou passam pela mesma situação que você e seu marido.

    1. Pri Portugal Responder

      Nossa, Marcos, fico muito emocionada com o seu depoimento. Realmente, os quase-pais sofrem a mesma barra e ainda acabam segurando a nossa, né? Deve ser realmente difícil. Fico muito feliz de saber que vc e sua esposa se sentiram acolhidos pelo site. Se quiserem conversar, manter contato ou deixar um depoimento, por favor me procurem inbox no facebook.com/cadeomeunenem ou no email contato@cademeunenem.com.br. Estou na torcida por vocês e vamos juntos, que assim somos mais fortes <3

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.