Se você está chegando pelo Fantástico, seja bem-vinda!

Meninas que chegaram aqui devido à reportagem sobre infertilidade do Fantástico, esse post é para vocês! Sejam muito bem vindas ao Cadê Meu Neném?, site que criei com muito amor e muita dor para mostrar que não estamos sós (com depoimentos lindos que vc pode ler clicando aqui), para contar minha história (leia aqui) e para trazer reportagens esclarecedoras com médicos e diferentes especialistas que podem ajudar na sua batalha contra a infertilidade.

De ontem para hoje, recebi dezenas de e-mails e comentários no site, no Facebook e no Instagram @cadeomeunenem e não estou dando conta de responder com a velocidade que gostaria. Vou, sim, ler e responder um por um, como sempre fiz, mas percebo que muitas me mandam perguntas parecidas e quis aproveitar para adiantar algo que pode aplacar muitas angústias. Então selecionei posts já publicados aqui que podem conter essas respostas. Segue abaixo minha seleção:

Pergunta: Qual foi seu diagnóstico? Como você descobriu o que tinha? Como se curou? Ainda não tenho diagnóstico, devo fazer uma FIV? Qual o contato do seu imunologista?

Respostas: Contei brevemente no Fantástico, mas aqui tem tudo, inclusive o contato do meu imunologista: http://www.cademeunenem.com.br/entrevistei-o-medico-causas-da-minha-infertilidade/

 

Pergunta: Não tenho útero, consigo engravidar?

Resposta: Ainda não é tão simples, mas estamos caminhando. Veja: http://www.cademeunenem.com.br/fiv-na-paciente-do-transplante-de-utero/

 

Pergunta: Como sei se ainda devo continuar tentando engravidar?

Resposta: É a pergunta de um milhão de dólares, mas quem sabe esse post te dá uma luz: http://www.cademeunenem.com.br/parar-de-tentar-engravidar/

 

Pergunta: Meu marido tem azoospermia ou espermatozoides lentos, ou com DNA fragmentado. Isso tem cura?

Reposta: http://www.cademeunenem.com.br/tratamento-para-homens-com-azoospermia/

 

Pergunta: Quanto custa e como é fazer fertilização in vitro?

Resposta: http://www.cademeunenem.com.br/fertilizacao-in-vitro-a-famosa-fiv/

 

Pergunta: Como você conseguiu engravidar? Quantos tratamentos fez?

Resposta: Contei no Fantástico, mas está tudo aqui: http://www.cademeunenem.com.br/fertilizacao-in-vitro-a-famosa-fiv/

 

Pergunta: Onde você fez a FIV?

Resposta: Posso responder, mas honestamente acredito que devo mais ao meu diagnóstico e ao tratamento que ao médico que fez a FIV. O importante é checar se é um bom laboratório, conhecer seu corpo, ouvir sua intuição e se empoderar para ser a “dona” do seu tratamento e da sua saúde 😉

 

Pergunta: Alguma dica para quem ainda está tentando?

Resposta: http://www.cademeunenem.com.br/7-anos-tentando-engravidar/


6 thoughts on “Se você está chegando pelo Fantástico, seja bem-vinda!

  1. Renato Responder

    Bem vindas e bem vindos, né? Os maridos também fazem parte de todo o processo e querem tanto quanto as esposas. Conheci o blog ontem, pelo Fantástico, e tenho certeza que será muito útil. Obrigado por compartilhar seu caminho!

    1. Pri Portugal Responder

      Tem toda razão, Renato. Bem-vindo. Você vai ver que de maneira geral escrevo o site no feminino porque entendo que esse é meu lugar de fala e sei que homens e mulheres vivem suas dores de maneiras distintas. De novo generalizando, pelo que percebo entre amigas e entre as leitoras é que as mulheres sentem mais necessidade de falar, por isso essa escolha. Mas estou trabalhando nisso. Dá uma olhadinha no depoimento do meu marido: http://www.cademeunenem.com.br/o-que-sente-um-quase-pai-um-depoimento-do-meu-marido/ E, se quiser, acompanhe a página do Cadê no FB, estou programando um bate-papo com um psicólogo especializado em pais e quase-pais. Bjinho

  2. Heloisa Machado de Carvalho Figueiredo Responder

    Obrigada por compartilhar sua experiência de não-gravidez e, agora, a tão desejada experiência de gravidez!!!
    Me emocionei muito ao ler sobre sua trajetória, me identificando nas suas palavras… Minha primeira FIV foi em 2011, sem sucesso. Passei por vários outros momentos difíceis durante todos esses anos seguintes e estava me preparando para encerrar minha “busca pela maternidade” em outubro deste ano, quando completarei 40 anos de idade. Sem sentença final, com muitas mágoas no coração, “grilos” na cabeça, me sentindo sozinha… não dava pra continuar. Mas você reascendeu uma chama no meu coração. Com esperança, vou prolongar minha busca! Vou me consultar com o Dr. Ricardo. Moro em Brasília, mas a distância agora me pareceu pequena…
    Gratidão!

    1. Pri Portugal Responder

      Oi, Heloisa, seja bem-vinda ao Cadê. Acredito fortemente que um diagnóstico fechado é o único caminho para um tratamento bem-sucedido, sabe? Eu estava com 37, poucos óvulos (segundo o exame do hormônio antimulleriano) e muitos grilos também. Mas não sosseguei até saber o que eu tinha. Se ficar difícil para vc vir de Brasília, de repente consultar um imuno na sua cidade pode ser o caminho, com as indicações de exames q o dr Ricardo passa aí no primeiro link do texto. Boa sorte e depois me conta 🙂
      Bjinho, Pri

  3. Talita Cristina da Silva Responder

    Me identifiquei tanto com essa reportagem, me senti um pouco acolhida. A dez anos eu conheci o meu esposo, tudo aconteceu muito rápido, logo fomos morar juntos e também logo veio a certeza de que queria ser mãe, e parecia tão fácil, eu era nova e aparentemente muito saudável. O Aurélio já tinha dois filhos, então era só tentar. Com o passar do tempo eu vi que as coisas não estavam funcionando, então comecei a fazer muitos exames pra saber o que havia de errado comigo, e pra minha surpresa estava tudo certo. Quando estávamos prestes a fazer seis anos juntos, meu esposo “decidiu me contar” que havia feito uma vasectomia a doze anos atrás (pasmem!!… sim parece historia de novela). Como diria a saudosa Maisa “Meu mundo caiu”, eu não podia acreditar que ele me viu chorar noite após noite, fazer testes de gravidez, ficar de cabeça pra baixo e ainda conviver com isso, com essa mentira, sem contar que toda a família dele sabia de tudo. Eu sofri muito, não tenho nem palavras, até hoje dói…mas eu passei por cima do meu orgulho e o perdoei, já que eu quero ser mãe, mas de um filho dele, e aí vem as dificuldades, não temos dinheiro para uma reversão, nem fertilização e nem nada desse tipo…Mas estou sempre correndo atrás de alguma solução pq eu não quero e não vou abandonar meu sonho, peço a Deus todos os dias que renove a minha fé e que me de forças pra suportar esse caminho árduo, mas que eu sei que a recompensa é puro amor.

    1. Pri Portugal Responder

      oi, Talita, seja bem-vinda ao Cadê, desejo que aqui encontre uma rede de apoio. Não consigo imaginar pelo que vc passou, então é muito difícil para mim te deixar uma mensagem, mas eu conversaria muito seriamente com meu marido, pois para ter filhos, o apoio da família é fundamental, e se ele escondeu algo tão importante de vc, talvez não esteja pronto para ser pai novamente. Vale investigar quais razões o levaram a não te falar a verdade, mesmo vendo seu sofrimento. Sinta-se abraçada, querida. Bjinho, Pri

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *